CAFÉ DA MANHÃ CEO COUNCIL – PULLMAN VILA OLÍMPIA


2023: A Retomada dos Eventos de Conteúdo

Os maiores investimentos em eventos que vocês, CEO (Chief Events Office), faziam até a pandemia era adquirindo cotas de patrocínio e estandes dos eventos promovidos por associações e sociedades do terceiro setor. O pós-pandemia deflagrou profunda transformação no perfil dos promotores dos eventos de conteúdo. Hoje muitos são realizados por empresas e influenciadores.

É hora de discutirmos as oportunidades e os desafios que se apresentam.

 


Palestrante Convidado

Rodrigo Cordeiro, CEO da DELOS Bureau

TEMA – 2023: A Retomada dos Eventos de Conteúdo

O desenvolvimento humano, seja no campo profissional ou pessoal, está diretamente associado aos eventos dos quais participamos. São momentos para ouvir, aprender, refletir, mentalizar e inspirar. Também são oportunidades para trocar ideias com pessoas de todos os pontos de vista. Ainda que esses momentos não tragam respostas concretas, certamente ajudam a melhorar as perguntas.

Até o início de 2020, os eventos de conteúdo eram promovidos por associações, sociedades e entidades do terceiro setor. Poucas empresas se aventuravam na condição de grandes promotores com foco em conteúdo. É um lugar arriscado, exige discernimento, imparcialidade, capacidade de ouvir (até mesmo o contraditório) para promover a convergência entre as partes que precisam se fazer presentes. As associações representavam esse lugar neutro e seguro.

Mas, mesmo nesse momento, era notável o desejo das empresas apresentarem seus conteúdos, pois dentro dos próprios eventos associativos passavam a valorizar a participação na grade de programação, como contrapartida das cotas de patrocínio.

Reclusos em casa, com tempo disponível, abertos para receber novo formato de entrega de conteúdos, em paralelo às trágicas notícias dos anos de 2020 e 2021, executivos de todos os setores assistiram ao surgimento de um volume enorme de conteúdos, promovidos pelos mais diversos grupos.

O mercado de influenciadores é um bom exemplo. Esse segmento surgiu antes da Pandemia, mas certamente se fortaleceu nesse período. Essas personalidades ocuparam um espaço afetivo que antes era preenchido pelo networking presencial. Hoje, os influencers vendem ingressos a valores inimagináveis e lotam os maiores centros de eventos do país.

As empresas também entenderam que, se revertessem em projetos proprietários parte do investimento antes destinado a outros promotores, se tornariam protagonistas de suas próprias histórias.

No caso das associações, entretanto, a capacidade de promover mudanças é bem mais lenta. A decisão é colegiada, nunca parte de uma só pessoa e quase nenhuma delas aceita que as suas imagens estejam vinculadas a alguém. Ao mesmo tempo o desafio administrativo e financeiro batia à porta, pois projetos estavam vendidos e as entregas precisavam ser redesenhadas. A própria cobrança de anuidades ou mensalidades em um período tão incerto, com tamanha diminuição de renda, acabou sendo um limitador.

Depois de dois anos com tanto conteúdo, o desejo imediato das pessoas pós-pandemia era se encontrar, abraçar e celebrar. Isso fortaleceu o entretenimento e as feiras de negócios tornando o ano de 2022 desafiador para os eventos de conteúdo e culturais. Tirar as pessoas de casa ou de seus escritórios ficou muito mais difícil.

Ainda nessa euforia do reencontro e dos abraços, vivemos em 2022 a eleição mais polarizada de nossa história. Foi uma das primeiras vezes que o assunto tomou o ano todo, não só o período de agosto a novembro. Com isso, muitas decisões corporativas e até mesmo governamentais acabaram não sendo tomadas justamente a espera do resultado e das articulações posteriores.

São severas as consequências dessa polarização para a sociedade que diminuiu sua disposição ao diálogo, se fecha em convicções de forma agressiva e violenta, substituindo argumentos por irracionalidades verbais.

Ainda na ressaca do resultado das eleições, vivemos a Copa do Mundo e 2023 chegou de repente. Os reencontros e abraços se tornaram recorrentes. Acabou a novidade de voltar ao passado recente. Restou a possibilidade de aprender, melhorar, crescer. Nenhuma sociedade vive sem boas discussões e referências.

Por tudo isso, acredito que o ano de 2023 será o da retomada dos eventos de conteúdo, que chegam totalmente repaginados, com muito mais experiências, em novos formatos, aplicando os aprendizados operacionais, testando e validando as hipóteses criadas, agora transformadas em teses.

Perfil

Rodrigo Cordeiro é formado em Administração de Empresas pela PUC – SP e pós-graduado em Administração e Organização de Eventos pelo SENAC.

Sucedeu seu Pai na Acqua Consultoria, fazendo-a crescer exponencialmente. No ano de 2014 vendeu a Acqua Eventos para empresa multinacional, onde ocupou o cargo de Diretor de Congressos e Feiras até agosto de 2019.

Foi o vencedor do Grand Prix do Prêmio Caio na Categoria de Eventos nos anos de 2015, 2016 e 2017.

A sua experiência se comprova pela realização de mais de 1000 eventos nacionais e internacionais de médio e grande porte, dentre eles, o 8o Fórum Mundial da Água, evento que ocupou o cargo de diretor operacional e venceu o Collaboration Award da IAPCO – International Association of Professional Congress Organisers e também da GLOCAL Experience pela Dream Factory, onde ocupou o cargo de diretor geral.

Já foi presidente da MPI – Meeting Professionals International, diretor da ABEOC – SP e atualmente ocupa o cargo de membro do Conselho Consultivo do São Paulo Visitors & Convention Bureau.

Atualmente é diretor executivo da DELOS Bureau | empresa da DC Set Group, cujo principal projeto é o Fronteiras do Pensamento.

É um apaixonado e defensor da indústria de eventos.


Apoio

HOTEL ANFITRIÃO

Audiovisual


Serviço

Data: 20/06/2023
Horário: 08h30 às 11h30
Local: HOTEL PULLMAN SÃO PAULO VILA OLÍMPIA
Endereço: Rua Olimpíadas 205 , Vila Olímpia São Paulo/SP